Saúde

Saúde das crianças em dia: o que você precisa saber sobre vacinação

saude-das-criancas-em-dia-o-que-voce-precisa-saber-sobre-vacinacao.jpeg

Nem é preciso dizer sobre a importância da vacinação para a saúde das crianças e de toda população de modo geral. Ela previne doenças graves, sendo que muitas já estão erradicadas do país por conta do simples ato de vacinar.

Portanto, o post de hoje tem a finalidade de lhe ajudar a saber exatamente quais são as doenças que a vacinação previne, bem como atualizar o quadro de vacinas de acordo com a idade das crianças e o que fazer caso você tenha perdido o cartão de vacinação delas. Acompanhe!

Doenças que a vacinação infantil previne

Antes de falarmos propriamente sobre o calendário de vacinação infantil, conheça as doenças que são prevenidas, pois dessa forma, você saberá exatamente quais vacinas seu filho deve tomar!

Tuberculose

A vacina BCG, que é utilizada em dose única ainda na maternidade e nos deixa com aquela famosa marquinha no braço, protege a criança durante toda a sua vida contra as formas mais graves da tuberculose — no caso, a chamada neurotuberculose ou tuberculose disseminada.

Hepatite B

A vacina HepB protege contra a infecção causada pelo vírus VHB e que causa inflamação e irritação do fígado. É feita em 3 doses ainda nos primeiros 6 meses de vida. Bebês prematuros recebem uma dose extra aos 4 meses de vida.

Difteria, tétano e coqueluche

Essas 3 doenças bacterianas podem ser prevenidas pela vacina DTP/DTPa. Enquanto a difteria se caracteriza como uma infecção grave na garganta e no nariz, o tétano é uma infecção que não tem cura e afeta os nervos. Já a coqueluche, cujo sintoma é a tosse prolongada, é uma infecção do trato respiratório altamente contagiosa.

Essa vacina pode ser encontrada no SUS (como DTP) e na rede particular (como DTPa), esta última com eficácia igual à oferecida pela rede pública, mas com reações adversas menores e mais brandas. Além de crianças, gestantes também devem tomá-la.

Meningite, pneumonia e epiglotite

A vacina chamada de Hib (devido ao nome da bactéria Haemophilus influenzae) é administrada junto com a DTP e previne 3 doenças: a meningite, que é a inflamação das membranas que revestem a medula espinhal e o cérebro; a pneumonia, infecção que irrita os pulmões (podendo ser fatal para crianças); e a epiglotite, que é uma inflamação da glote que provoca grave falta de ar.

Existem ainda 2 tipos de vacinas que protegem contra a meningite e a pneumonia e que devem ser administradas em crianças: a Pneumocócica conjugada e a Meningocócica conjugada. Esta última também protege a criança da meningococcemia. Elas levam o nome de “conjugada” por serem compostas por vários sorotipos da bactéria.

Poliomielite

A poliomielite é uma doença grave que não tem cura e causa paralisia infantil. Para se prevenir, existem 2 tipos de vacina: a VIP — ou Salk, vacina intramuscular produzida com o vírus inativo — e a VOP, conhecida como Sabin, a famosa gotinha produzida a partir do vírus vivo atenuado. O calendário de vacinação recomenda a administração dos 2 tipos.

Rotavírus

O rotavírus causa diarreia em crianças e deve ser prevenido. A vacina, administrada em gotinha nos primeiros meses de idade, protege contra 1 sorotipo de vírus (no caso da fornecida pelo SUS) e contra 5 sorotipos, nesse caso fornecida pela rede particular.

Influenza

A vacinação é sazonal — aplicada em épocas de campanha — e protege contra o vírus Influenza, que causa gripe. Está indicada a partir dos 6 meses de vida.

Sarampo, caxumba e rubéola

A vacina chamada de tríplice viral protege contra essas 3 doenças: o sarampo, infecção grave que causa vermelhidão na face e febre; a caxumba, inflamação da glândula parótida; e a rubéola, altamente contagiosa e que causa vermelhidão muito intensa no corpo.

Varicela

Causada pelo vírus varicela zoster, a vacina previne a forma mais grave da doença, que causa febre alta, vesículas pelo corpo e algumas complicações. 

Febre amarela

A vacina contra febre amarela — infecção viral que é transmitida por algumas espécies de mosquitos — está indicada para crianças que vivem ou que viajarão para áreas endêmicas, cuja vacina está indicada.

HPV

É o nome do vírus considerado o principal causador do câncer do colo de útero, além de verrugas genitais. Pode ser transmitido tanto por contato sexual quanto de mãe para filho. A vacina HPV está indicada para adolescentes a partir dos 10 anos de idade.

Calendário Nacional de Vacinação

Todos os anos, o Ministério da Saúde divulga a atualização do Calendário Nacional de Vacinação. Isso porque de tempos em tempos há mudanças nas indicações de vacina e a inclusão de novas dosagens.

Portanto, confira abaixo a relação das vacinas que crianças (do nascimento aos 9 anos de idade) e adolescentes (dos 10 aos 19 anos) devem tomar, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação de 2017:

Ao nascer

  • BCG (dose única);
  • Hepatite B (dose ao nascer).

Aos 2 meses

  • Penta/DTP (1ª dose);
  • VIP/VOP (1ª dose com VIP);
  • Pneumocócica 10V conjugada (1ª dose);
  • Rotavírus Humano (1ª dose).

Aos 3 meses

  • Meningocócica C conjugada (1ª dose).

Aos 4 meses

  • Penta/DTP (2ª dose);
  • VIP/VOP (2ª dose com VIP);
  • Pneumocócica 10V conjugada (2ª dose);
  • Rotavírus Humano (2ª dose).

Aos 5 meses

  • Meningocócica C conjugada (2ª dose).

Aos 6 meses

  • Penta/DTP (3ª dose);
  • VIP/VOP (3ª dose com VIP).

Aos 9 meses

  • Febre amarela (uma dose).

Aos 12 meses

  • Pneumocócica 10V conjugada (reforço);
  • Meningocócica C conjugada (reforço);
  • Tríplice Viral (1ª dose).

Aos 15 meses

  • Penta/DTP (1º reforço com DTP);
  • VIP/VOP (1º reforço com VOP);
  • Hepatite A (uma dose, tomada entre os 15 meses até os 23 meses);
  • Tetra Viral (uma dose, que corresponde a 2ª dose da tríplice viral com uma dose da vacina varicela).

Aos 4 anos

  • Penta/DTP (2º reforço com DTP);
  • VIP/VOP (2º reforço com VOP);
  • Febre amarela (reforço).

Adolescentes (10 aos 19 anos)

  • Hepatite B – 3 doses (verificar a situação vacinal);
  • Meningocócica C conjugada (um reforço ou dose única – verificar a situação vacinal);
  • Febre amarela (uma dose e um reforço – verificar a situação vacinal);
  • HPV (2 doses – meninas de 9 a 14 anos e 2 doses – meninos de 12 a 13 anos)
  • Dupla Adulto (reforço a cada 10 anos para tétano e difteria).

Documentação necessária para a vacinação infantil

Para vacinar as crianças, o único documento requerido é a carteira de vacinação, pois nela consta todas as imunizações já realizadas e especifica as que ainda faltam durante toda a vida.

Caso os pais percam a carteira, é necessário providenciar uma nova. De forma geral, o posto de vacinação onde a criança costuma se vacinar mantém o histórico. Caso contrário, é provável que ela tenha de receber novamente todas as vacinas de acordo com a idade em que se encontra. Nesse caso, procure um médico para avaliar a situação.

Como vimos, a vacinação é extremamente importante para manter a saúde das crianças em dia, evitando o reaparecimento de doenças graves e o aumento da mortalidade infantil. Portanto, caso os seus filhos não estejam com a vacinação atualizada, não deixe de regularizar a situação o quanto antes.

Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário. 

Você também pode gostar
diminuir-a-celulite-e-possivel-confira-nossas-dicas.jpeg
Diminuir a celulite é possível? Confira nossas dicas!
tomar-anticoncepcional-sem-orientacao-medica-quais-os-riscos.jpeg
Tomar anticoncepcional sem orientação médica: quais os riscos?
voce-da-a-devida-importancia-a-sua-saude-bucal.jpeg
Você dá a devida importância à sua saúde bucal?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This