Plano de Saúde

Plano de saúde: o que você precisa saber antes de contratar

plano-de-saude-o-que-voce-precisa-saber-antes-de-contratar.jpeg

Não é novidade nenhuma para nós, brasileiros, saber que o sistema público de saúde vai de mal a pior. Todos os dias, nos deparamos com notícias de pessoas que enfrentam filas para marcar exames, fazer consultas e passar por procedimentos cirúrgicos — muitos destes urgentes. Essas notícias são transmitidas em todos os canais de comunicação: televisão, rádio, portais de notícias e até redes sociais, como o Facebook.

Diante de um cenário como esse, fica difícil confiar no poder público e em sua eficácia quando o assunto é saúde. Como alternativa, podemos recorrer aos planos de saúde particulares. Existem muitas opções no mercado, dos mais diversos tipos e com as mais diferentes coberturas. A dúvida é: o que considerar ao contratar um plano de saúde?

Confira todos os detalhes sobre os planos de saúde e o que você precisa saber antes de contratar um:

Por que devemos ter um plano de saúde?

Atualmente, ter um plano de saúde não é uma questão de luxo — é de extrema necessidade! Essa necessidade é mais uma que o governo, independentemente de qual seja, poderia atender, mas não é capaz. Apesar de pagarmos muitos impostos e termos direito à saúde pública, nos deparamos com uma situação cada vez mais triste, em que as pessoas vão aos hospitais, prontos-socorros e ambulatórios das redes municipal, estadual e federal sem a garantia de conseguir atendimento.

Quem tem um plano de saúde tem inúmeras vantagens. O atendimento da rede privada de saúde é melhor do que o sistema público, contando com profissionais de formação específica e experiências que garantem a tranquilidade dos pacientes em relação aos exames, consultas, tratamentos e procedimentos cirúrgicos.

Contratar um plano de saúde permite, além da facilidade no atendimento, a cobertura em relação a muitos procedimentos referentes à internação hospitalar, como o parto. Ele também cobre a internação em unidades hospitalares, inclusive Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Não existem prazos, valores máximos, quantidade de vezes, honorários médicos e custos em relação à alimentação do paciente. Tudo está embutido no valor do plano.

O paciente que tem um plano de saúde consegue receber medicamentos, anestésicos, transfusões, sessões de quimioterapia e radioterapia, além de outros durante o período necessário de internação. É direito do paciente a cobertura da remoção dele para outra unidade hospitalar, caso seja necessário.

O que considerar antes de contratar um plano de saúde?

A contratação de um plano de saúde vai muito além dos preços. O valor do plano nem sempre reflete sua qualidade ou abrangência em relação à quantidade de hospitais e locais para a realização de exames. Antes de assinar qualquer contrato, você precisa considerar alguns pontos fundamentais para o sucesso de sua escolha. São eles:

1. O perfil do contrato

Verifique qual é o perfil dos contratos que você está considerando assinar. Para que você entenda a diferença entre eles, existem basicamente quatro tipos: individual, familiar, coletivo e empresarial. Como o próprio nome diz, os planos individuais cobrem apenas uma pessoa. O familiar pode ter dois ou mais membros. Os planos coletivos são feitos por intermédio de entidades de classe, onde cada indivíduo adere ou não. Já os planos empresariais são aqueles feitos para organizações que repassam os benefícios aos seus funcionários.

2. O registro na Agência Nacional de Saúde

É dever de cada cidadão fiscalizar os órgãos e instituições. Durante a fase de avaliação de um contrato de plano de saúde, verifique se a operadora dele possui registro na Agência Nacional de Saúde. A consulta pode ser feita pelo telefone 0800 701 9656. Caso tenha dúvidas em relação à idoneidade da operadora, você pode procurar mais informações sobre ela em instituições como o Procon e o site Reclame Aqui.

3. A compatibilidade da cobertura com suas necessidades

A área de cobertura de um plano de saúde é uma das principais características que devem ser analisadas durante o período de estudo e de contratação. Alguns planos possuem cobertura nacional, outros são mais restritos e cobrem apenas uma determinada região, sendo inviáveis para quem se desloca com frequência entre cidades e estados.

4. A garantia de tudo o que o contrato diz

Apesar de estar diante de uma papelada sem fim e com letras minúsculas que desestimulam a nossa vontade de ler, faz parte do processo de compra consciente a leitura de todo o contrato do plano de saúde. Leia cada cláusula, exigindo uma cópia do contrato e da lista atualizada de todos os prestadores credenciados.

Tome cuidado também com as promessas feitas por corretores. Tudo o que for dito deve constar por escrito, para não haver divergências em relação ao que o contrato diz.

5. Os reajustes dos planos

Os planos de saúde têm reajustes programados. Os planos individual e familiar costumam ter dois tipos de reajustes, sendo um anual e outro por faixa etária. Já os planos coletivo e empresarial costumam ter três diferentes tipos de reajustes, sendo um anual, outro por faixa etária e um por sinistralidade, levando em consideração a frequência de uso dos serviços.

6. Os períodos de carência

Esse é outro ponto ao qual você deve dedicar muita atenção. Os períodos máximos de carência costumam ser os seguintes:

  • 24 horas: urgência e emergência;
  • 180 dias: internações, cirurgias e procedimentos muito complexos;
  • 300 dias: partos.

7. Portabilidade entre planos

Os planos de saúde, assim como os das operadoras de telefonia, permitem a portabilidade, ou seja, migrar de um para outro levando consigo as carências já cumpridas. Antes de decidir pela portabilidade entre planos, consulte as condições envolvidas, pois a mudança entre eles pode não ser tão simples quanto parece.

8. Seu histórico de saúde

Antes de efetuar a contração de um plano de saúde, avalie quais são as suas reais necessidades. Leve em consideração questões como idade, hábitos nocivos para saúde, histórico, doenças crônicas e outros mais. Quando você faz essa avaliação, a possibilidade de escolher um plano de acordo com o seu perfil é maior, evitando que você pague por algo que não vai usar.

Faça a escolha do seu plano de saúde com consciência.

Gostou das nossas dicas sobre o que considerar antes de contratar um plano de saúde? Para ficar por dentro das novidades, não deixe de nos seguir no Facebook e no Twitter!

Você também pode gostar
portabilidade-de-plano-de-saude-o-que-voce-precisa-saber.jpeg
Portabilidade de plano de saúde: o que você precisa saber?
fique-por-dentro-conheca-os-tipos-de-planos-de-saude-e-escolha-o-melhor-para-sua-familia.jpeg
Fique por dentro: conheça os tipos de planos de saúde e escolha o melhor para sua família
plano-de-saude-ou-consulta-particular-qual-escolher.jpeg
Plano de saúde ou consulta particular: qual escolher?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This