Saúde

Conheça os principais hábitos que podem desgastar os dentes

conheca-os-principais-habitos-que-podem-desgastar-os-dentes.jpeg

Você já se deparou com algum ferimento na boca ou sentiu que um de seus dentes se partiu durante a mastigação? Saiba que esses incômodos podem ser resultado de hábitos que podem desgastar os dentes.

Bom, é melhor você ficar atento a determinados costumes que estão enfraquecendo a sua arcada dentária. Uso de palitos, escovas com cerdas impróprias ou mesmo o estresse do dia a dia são motivos para ficar alerta e se cuidar.

Para sanar todas as suas dúvidas em relação ao tema, listamos, no artigo de hoje, seis hábitos que prejudicam a saúde dos seus dentes. Acompanhe:

1. Escovação incorreta

Apenas escovar os dentes não é garantia de ter a saúde bucal em dia. Observar a forma como são limpos, o tipo de escova e o tempo de escovação podem ajudar para que a higiene seja a melhor possível. Veja os principais erros e saiba como corrigi-los:

Escovar logo após se alimentar

Espere até 20 minutos, no mínimo, para escovar os dentes após as refeições. Isso porque alimentos ácidos colaboram para que o esmalte dentário perca cálcio e, com a escovação, a situação só piora. Durante esse intervalo, o ácido se neutraliza, e o cálcio concentrado na saliva se prende ao esmalte novamente.

Ter pressa na escovação

O recomendável é a higienização dos dentes demore de dois a três minutos. Adquira o hábito, cronometrando o tempo que você leva para escová-los.

Não prestar atenção aos movimentos

Olhe-se no espelho e note as áreas em que você passa a escova, em especial na linha da gengiva — local propício à formação de tártaros. Além disso, ao observar a escovação, você pode notar se há algo de errado com os dentes.

Não posicionar corretamente a escova

Segure-a em um ângulo de 45 graus e escove da gengiva à ponta dos dentes, em movimentos circulares lentos. Desse modo, evita-se o desgaste do esmalte, útil à proteção dos dentes. Prefira as escovas com cerdas macias e nunca recorra à força na hora da limpeza.

Usar escovas antigas

A cada três meses, no máximo, troque a escova de dente. Para não formar germes e bactérias nas cerdas, limpe-a com água quente depois do uso e a deixe secar por completo.

2. Bruxismo

O bruxismo nada mais é do que o hábito de ranger e pressionar os dentes enquanto dorme. O resultado são dentes quebrados e repletos de fissuras, ocasionando falhas que, geralmente, são reparadas somente na hora da mastigação.

É durante a noite de sono que o bruxismo ocorre — fruto de estresse, raiva, ansiedade, sintomas de doenças do sistema nervoso etc. Além de deteriorar parte dos dentes, ele:

  • deixa os músculos da mandíbula doloridos;
  • causa ferimentos na gengiva;
  • provoca inchaço;
  • causa dor de cabeça e nos músculos da face etc.

Ao sentir os sintomas descritos acima, é recomendável procurar um dentista para evitar que o bruxismo se agrave. O tratamento é realizado, na maioria das vezes, com o uso de uma placa bucal durante a noite.

3. Alimentação inadequada

Os alimentos ácidos, como já citados, têm papel central na erosão dentária se consumidos com frequência. Vinagres, determinados tipos de frutas, as bebidas cítricas e os refrigerantes são os vilões do esmalte, que, se prejudicado, causa dores e sensibilidade.

Os alimentos mais duros também são danosos, pois podem gerar fraturas e ferir as gengivas. Mas como evitá-los? A resposta está na reeducação alimentar. A falta de nutrientes também enfraquece os dentes. Por isso, opte por alimentos ricos em vitamina C, como:

  • laranja;
  • acerola;
  • goiaba;
  • pimentão;
  • brócolis etc.

Na sua dieta, também inclua opções fartas em cálcio, pois, sem ele, os dentes e a estrutura óssea perdem a força. A dica é ingerir, portanto:

  • peixes;
  • grãos;
  • verduras cruas;
  • leite e derivados.

4. Mastigação e mordedura de objetos

Uma tampa de caneta, embalagens ou a ponta do lápis podem parecer inofensivos, mas poucos têm ideia do mal que podem fazer aos dentes ao serem mordidos. Se você age dessa forma, por ansiedade ou mesmo por hábito, está na hora de se policiar.

Mastigar ou morder objetos são motivos suficientes para desgastar a arcada. É muito provável que a mordida ocorra sempre do mesmo lado da boca, nos mesmos dentes, o que certamente deixará a arcada dentária irregular.

Logo, evite usar os dentes para mastigar objetos ou abrir embalagens. Tais manias podem gerar sensibilidade e pequenas fissuras, que só uma ida ao dentista pode detectar.

5. Roedura de unhas

Além de ser um hábito nada higiênico e propício a causar feridas nos dedos, roer as unhas também é perigoso para a saúde bucal. Isso acontece porque os germes presentes nas unhas provocam infecções na boca e também no organismo, com a entrada de micróbios e vírus pelo sistema digestivo.

A estrutura dentária também sofre. Ao roer as unhas, o esmalte se desgasta e, por consequência, a resistência dos dentes diminui e a estética também é afetada.

Cabe notar que a roedura de unhas é sintoma de ansiedade e nervosismo. Por isso, é recomendável procurar meios que aliviem a tensão e, dessa forma, o hábito será eliminado aos poucos. Uma maneira saudável de acabar com esse problema é por meio da prática de exercícios físicos.

6. Uso do palito de dente

Isso mesmo! O velho hábito de palitar os dentes, principalmente após as refeições, deve ser interrompido. O palito pode ser responsável por causar mobilidade entre os dentes ao longo do tempo, além de ser um instrumento que facilmente fere as gengivas.

É possível, com o palito, retirar resíduos de comida maiores entre os dentes, sim; ele, no entanto, é inútil na hora de dar fim à placa bacteriana. O conselho é simples: troque o palito pelo fio dental. O fio é mais eficaz na hora de limpar os restos de alimentos do vão entre os dentes, além de evitar cáries e não machucar a boca.

Observar os costumes que já fazem parte do nosso dia a dia, mas que dificilmente nos damos conta de tão naturalizados, é uma atitude vital para mudá-los. A saúde — não só a bucal —  agradece! Fique de olho, portanto:

  • nos hábitos alimentares;
  • no que leva à boca nas horas de distração;
  • na maneira de como se escova os dentes;
  • em eventuais falhas na arcada dentária.

Bom, já que você está bem informado sobre os cuidados necessários para não desgastar os dentes, aproveite para ler agora o nosso artigo sobre tratamento e prevenção da gengivite.

Você também pode gostar
primeira-ida-ao-dentista-5-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-a-saude-bucal-dos-bebes.jpeg
Primeira ida ao dentista: 5 coisas que você precisa saber sobre a saúde bucal dos bebês
estimulando-os-primeiros-passos-do-bebe-6-dicas-que-realmente-funcionam.jpeg
Estimulando os primeiros passos do bebê: 6 dicas que realmente funcionam
3-coisas-que-voce-precisa-saber-para-evitar-as-crises-de-enxaqueca.jpeg
3 coisas que você precisa saber para evitar as crises de enxaqueca

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This