Saúde

Acompanhamento ginecológico: saiba a importância de manter a sua saúde em dia

acompanhamento-ginecologico-saiba-a-importancia-de-manter-a-sua-saude-em-dia.jpeg

Já dizia o velho ditado popular: “antes prevenir do que remediar”. A prevenção é o melhor caminho para qualquer pessoa que deseja manter a saúde em dia. Portanto, o acompanhamento ginecológico deve fazer parte da rotina da mulher.

Muitas doenças não apresentam sintomas fáceis de identificar. Somente com uma avaliação profissional é possível descobrir a causa e, assim, ter mais chances de desenvolver tratamentos e encontrar uma cura.

Toda mulher precisa de um acompanhamento ginecológico e, por isso, é importante esclarecer as dúvidas sobre essas consultas. Pensando nisso, preparamos este post com as respostas para os principais questionamento sobre o tema. Confira!

Quando iniciar um acompanhamento ginecológico?

O ginecologista passa a ter um papel essencial na vida da mulher assim que ela menstrua pela primeira vez. Não é possível determinar uma idade padrão para iniciar o acompanhamento, pois a menarca (primeira menstruação) varia de mulher para mulher.

A primeira avaliação ginecológica é indicada quando a paciente percebe os primeiros sintomas da alteração hormonal, como aumento dos seios e aparecimento dos pelos pubianos. Não importa a idade, o essencial é visitar sempre um médico ginecologista de confiança. Quer saber mais sobre as consultas? Explicaremos agora!

Diferentes acompanhamentos

Se a mulher já tem uma vida sexual ativa, as consultas são fundamentais para indicar e controlar as medicações, pressão arterial e outros sintomas que possam ocorrer devido à prática sexual. Esse mesmo acompanhamento pode ser realizado em mulheres que já estão na menopausa.

Já em relação às mais novas, ou que ainda não iniciaram a vida sexual, é essencial que o especialista recomende exames para identificar as causas das cólicas, TPM, menstruações irregulares, nódulos nas mamas. Também é fundamental orientá-la a conhecer o seu corpo, prevenir as DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e explicar qualquer dúvida que ela possa ter.

Para cada mulher existe um tipo de acompanhamento. O importante é ressaltar que todas devem procurar o ginecologista periodicamente! Confira os exames mais comuns para cada faixa etária:

Mulheres até 20 anos

A realização do exame chamado Papanicolau deve acontecer a cada doze meses (um ano). O objetivo é identificar possíveis lesões no colo uterino, infecções vaginais — como candidíase, Tricomoníase e Gardnerella vaginalis — e também algumas doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia, condilomatose, sífilis, gonorreia e cancroide.

Mulheres entre 20 e 30 anos

O exame do Papanicolau também deve ser feito uma vez ao ano — ou conforme recomendações médicas. São recomendados ainda: ecografia pélvica (ultrassons que estudam toda a região pélvica, como endométrio, ovários e útero, para identificar doenças no aparelho reprodutor feminino) e exames de sangue — tudo para avaliar o nível de triglicerídeos, colesterol e diabetes.

Mulheres entre 30 e 35 anos

Como nas outras fases da vida, o Papanicolau é fundamental. Nessa faixa etária, os exames de sangue e a ecografia pélvica são pedidos rotineiros e muito importantes. É preciso avaliar os tecidos mamários e, para essa avaliação, o ginecologista recomenda a ecografia da mama.

Mulheres entre 35 e 40 anos

Com essa idade, a mulher já está acostumada a fazer os exames mais solicitados — como a ecografia pélvica, o Papanicolau e os exames de sangue — e continua realizando todos eles. Porém, mais dois exames são necessários: a mamografia (no geral, a cada dois ou três anos) e a ecografia da mama, os dois para investigar e prevenir doenças, como o câncer de mama.

Mulheres entre 40 e 45 anos

Os mesmos exames são recomendados: exames de sangue, ecografia pélvica e Papanicolau, mas todos focados nas dosagens hormonais com o intuito de acompanhar o início da menopausa. A mamografia e a ecografia de mama são realizadas de acordo com o pedido médico.

Mulheres entre 45 e 50 anos

Nessa faixa etária pode ser preciso realizar e avaliar a densitometria óssea, a fim de medir a massa óssea e detectar o começo da osteoporose. Uma vez ao ano, a mulher também deve colher o Papanicolau, realizar a ecografia pélvica e os exames de sangue focados na dosagem hormonal.  

Mulheres após 50 anos

Todos os exames anteriores devem ser realizados, mas com foco nas dosagens hormonais e no controle de lipídeos. Os exames são necessários para indicar as doenças mais comuns nessa idade, como o câncer de mama, câncer de colo de útero e a osteoporose.

Escolha do profissional

Se você nunca foi ao ginecologista e está em dúvida se opta por homem ou mulher, saiba que não está sozinha. Muita gente também tem dificuldade em escolher o sexo do ginecologista.

O ideal é que você se consulte pelo menos uma vez com cada sexo e escolha aquele que deixá-la mais à vontade, relaxada e confiante. Lembre-se de que esse especialista será seu amigo por toda a vida. Portanto, fique de olho em algumas dicas para a primeira consulta!

  1. Evite ter relações sexuais no dia anterior à consulta. Logo na primeira consulta, são realizados alguns exames e o ato sexual pode alterar o Ph e os resultados.
  2. Ciclo menstrual também pode alterar os resultados dos exames, portanto, agende a consulta sempre 7 dias após a menstruação.
  3. Vá de barriga vazia à consulta. A vontade de urinar pode impedir que a mulher relaxe durante o exame.
  4. Duchas vaginais devem ser evitadas para não prejudicar o exame de Papanicolau.
  5. Não tenha medo de contar tudo ao seu ginecologista. Ele é a única pessoa que deve saber todos os detalhes do que acontece com o seu corpo e nas relações sexuais, para orientá-la da melhor forma possível.
  6. Não é regra ir depilada ao ginecologista. Se você não é adepta a depilação, não se preocupe. A quantidade de pelos pode auxiliar o ginecologista a identificar os hormônios.
  7. Tome banho sempre antes de ir às consultas para evitar possíveis constrangimentos.
  8. Prefira roupas mais fáceis de tirar — os vestidos são ótimas opções.
  9. Encontre maneiras de relaxar para que os seus músculos não se contraiam, causando dor e desconforto durante a realização dos exames.

E você, o que está esperando para marcar sua consulta com um especialista? Toda mulher deve estar ciente da importância de uma boa alimentação, da prática de atividades físicas e de manter o acompanhamento ginecológico para envelhecer bem.

Confira neste outro post do nosso blog mais 5 cuidados essenciais para a sua saúde!

Você também pode gostar
tomar-anticoncepcional-sem-orientacao-medica-quais-os-riscos.jpeg
Tomar anticoncepcional sem orientação médica: quais os riscos?
voce-sabe-quais-os-exames-devem-ser-feitos-na-infancia.jpeg
Você sabe quais os exames devem ser feitos na infância?
e-hora-de-parar-com-a-automedicacao-entenda-os-riscos.jpeg
É hora de parar com a automedicação. Entenda os riscos

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This